quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Suicide Club como você nunca viu


SUICIDE CLUB

DE USAMARU FURUYA



 Sem a menor sombra de dúvidas, Suicide Club é um dos mangás mais controversos e que deixa muitas dúvidas no ar para seus leitores sofrerem com elas. 



Caso você faça parte daqueles que ainda não conhecem a obra, clique na imagem para conferir a resenha.








ATENÇÃO: Esta obra possui cenas de nudez, violência explícita, dentre outras temáticas do gênero. Não recomendamos caso você seja menor de 18 anos ou possua gatilhos sensíveis relacionados as temáticas citadas anteriormente. Entretanto caso queira continuar, bem... não podemos fazer nada!



 Para saciar a curiosidade, selecionamos alguns aspectos marcantes em Suicide club afim de refletir um pouco a respeito e, quem sabe, matar essas dúvidas (ou não né!)







O PRÓPRIO FURUYA

    A perspectiva estilística de Suicide Club é resultado da própria visão de Usamaru Furuya, autor da obra. Desde o colegial, o autor já se interessava por temáticas sombrias. Posteriormente estudou esculturas, técnicas abstratas e tridimensionais. Marcando assim seu estilo como mangaká.
    A maioria das suas obras possui a mesma conjuntura bizarra e grotesca, algumas mais, outras menos. São mangás que tem mais interesse de análise do que próprio enredo em sí, tornando suas histórias tão únicas.
    Alem disso, Suicide Club não é a unica obra do autor que gira em torno de "Club´s", mostrando talvez seu interesse pessoal em escrever sobre cultos e seitas dentro de um grupo, como em Litchi Hikari Club e Suicide Club, por exemplo.


"(...)Vejo que gosto mesmo de histórias tágicas sobre grupos (...) Mas nunca fui de fazer parte de um grupo. Achava legal, mas não conseguia me enturmar direito. Talvez seja por isso que agora sinto tanto uma admiração como um desejo maléfico de ver um grupo entrar em colapso."


QUEM É MITSUKO?



    Quando falamos de carisma, principalmente dentro de grupos, estamos nos referindo a uma pessoa que é  fonte de admiração e influência para os demais. Muitas vezes observa-se um grande fascínio dos outros personagens do grupo a respeito dessa figura carismática, perdendo até muitas vezes seus ideais pessoas e os substituindo pelo grupo. No caso de Suicide Club não seria diferente. Ou seria?
    Mitsuko com certeza assume esse papel dentro da obra. É caracterizada como alguém que todas as garotas queriam fazer amizade, possuía um sorriso gentil. Mas uma pessoa possuiria tamanha persuasão a ponto de fazer 54 garotas, incluindo ela mesma, se atirarem na frente de um metrô?
    Usamaru Furuya foi simplesmente genial nesse aspecto. Quem é Mitsuko? A questão não é quem e sim "o que?". O autor criou algo mais profundo que uma personalidade. Mitsuko é algo tão influente que é um conceito, um estilo de vida e acima de tudo, um ideal. Muito embora quando inicia-se a leitura achamos que seja uma pessoa específica, " A Mitsuko" e de fato é, mas no decorrer compreendemos que é um título (um bem forte por sinal). Isso e tão genial que chega a ser assustador.

 SAYA

   

    A vida pode ser bem difícil para alguém que não tem amigos. Dentro da obra são abordados inúmeros temas como automutilação, bullying, prostituição e muitos outros que rodearam Saya até seu ato de suicídio falho motivado por Mitsuko. Entretanto ela continuou com as mesmas práticas, mesmo depois que entrou no Club e esboçava um sorriso feliz. 
   Sei que parece estranho alguém encontrar um tipo de motivação e continuar com atitudes que dizem ao contrário. Mas observando melhor, percebe-se que o propósito de Saya ao conhecer o clube não foi de superar seus traumas, mas de confirma-los e aceita-los como forma de ser firme naquilo que pretendia fazer: suicídio.
   Outro fato bem comum que muitas pessoas não sabem a respeito de suicidas é que muitos deles simulam "melhorar" para que deixem de prestar atenção em sí e deem uma abertura para cometer o ato. Dentro do universo de Suicide Club, as atitudes de Saya demonstram uma mistura das duas perspectivas. 
    Desde pequena Saya dividia um diário com a melhor amiga Kyoko, onde compartilhavam seus sentimentos. Mesmo depois de conhecer e seguir cegamente os propósitos de Mitsuko, Saya continuou, com suas atitudes depreciativas a sí, entretanto seu fascínio por Mitsuko confirmava o porque seguia o clube. Deixando Kyoko sem saber como lidar com essa situação, pois com todos os problemas e coisas estranhas escritas no diário, ela estava sempre sorrindo e dizia-se feliz. 
   Mesmo depois de falhar em suicidar-se, muitas pessoas na rede revelavam anonimamente possuir a mesma atitude de Saya, como se ela tivesse um super poder sobrenatural de aceitação de sua dor, mas que levaria a um fim trágico. Pessoas com as mesmas cicatrizes emocionais que Saya.


" Estou sofrendo bullying na escola. Como não aguentava mais, tinha decidido me matar. Mas depois que achei a foto dela na internet, deixo sempre na cabeceira da minha cama. Ela está sempre sorrindo. Não estou sozinho."



FATOS SEM EXPLICAÇÃO LÓGICA



    Umas das coisas que com certeza chega até a dar mais medo do que as cenas gore em si, são as coisas estanhas e aparentemente sem explicação racional que acontecem dentro de Suicide Club, mas que fazem sentido. Só não seria normal acontecer. Como garotas mortas mandarem mensagens, até o fato de existir um sobrevivente em um suicídio em massa é impressionante. 
   No decorrer do mangá ocorrem vários assassinatos com pessoas que tiveram alguma relação nem que indireta com Saya, mas que simplesmente apareceram mortas no dia seguinte, não que Saya seja assassina. Ou tragédias relacionadas a ela sem que ela tenha conhecimento ou contato direto.

"O meu gato miava de um jeito estranho enquanto via um avião passar pelo ceu. Ouvindo bem ele miava "Saya". Alguns minutos depois, eu ouvi um barulho de explosão vindo da montanha ao oeste. Era a queda do avião."

   Esse aspecto deve ser o que mais prende o leitor até o fim, com a curiosidade de saber o que toda essa confusão significa e ao terminar tem uma sensação inesperada e unica, sem saber nem como defini-la. Suicide Club realmente é uma história unica e uma experiência estranhamente incrível. É claro, para os fortes!

" Estou morrendo agora"

    




   
   



Nenhum comentário:

Postar um comentário