sábado, 1 de abril de 2017

O reino das vozes que não se calam



Sophie se esconde de todos e de se mesma


     Uma menina insegura que não consegue enxergar sua beleza e talento. Uma jovem que tem dificuldade de se relacionar com outras pessoas por conta da formo diferente de como ver o mundo – uma forma mágica, onde a tristeza é um pântano cinza com feias criaturas e a felicidade é um violão, um caderno onde pode compor suas musicas e seu amado cachorro Dior.

     A única amiga que tinha na escola era o completo oposto de si mesma. Anna era uma garota popular, cheia de amigos e que tinha Sophie como sua melhor amiga. Infelizmente Ana nunca esteve na mesa sintonia de Sophie, a garota nunca entendeu o que se passava no mundo da amiga e que acaba fazendo muito mal para Sophie por julgar errado seus sentimentos e por nunca ter realmente prestado atenção no que a amiga queria e gostava.


Sophie se via como a sombra feia de Ana e seus amigos


      Seus dias se perdem entre os caminhos tortuosos dos que convivem com a depressão e o bullying, e a jovem aos poucos vai se fechando na escuridão de seus pensamentos.

     Desesperada e sem coragem de lidar com seus problemas ela acaba descobrindo um lugar mágico: um Reino onde as vozes não se calem, as criaturas encantadas se tornam reais e a mamam incondicionalmente – um local colorido onde ela finalmente poderá se encontrar.




Se você encontrasse um lugar onde todos o aceitassem...

Seria capaz de abandoná-lo?

     Dividida entre o real e a magia – entre sua família e seu reino- Sophie passa a sofrer cada vez mais por não poder ficar definitivamente no reino e por saber do sofrimento que infligiria aos pais se sumisse.
     
     No meio desse turbilhão ela contará com a valiosa ajuda de um rapaz comum e uma guardiã encantada, que lhe mostrarão os segredos da alma e a farão decidir se vale a pena enfrentar seus medos ou viver em um eterno conto de fadas.
   
     Descubra o que a vida proporcionou para Sophie e quais escolhas ela fez no encantado livro O REINO DAS VOZES QUE NÃO SE CALAM .

Nenhum comentário:

Postar um comentário